top of page

Desvendando o surpreendente fenômeno dos controladores de elite do HIV


Por João Geraldo Netto - HIV, vírus da imunodeficiência humana, é uma doença que há décadas assola a humanidade. No entanto, ao longo dos anos, a ciência tem revelado uma pequena parcela de indivíduos conhecidos como "controladores de elite". Essas pessoas têm a capacidade notável de controlar naturalmente a replicação do vírus em seu organismo, mantendo os níveis virais baixos e a saúde relativamente estável, mesmo sem o uso de medicamentos antirretrovirais.


Os controladores de elite são uma pequena porcentagem de pessoas infectadas pelo HIV, aproximadamente 1% a 5% dos casos. Esses indivíduos são capazes de manter uma carga viral extremamente baixa, geralmente abaixo de 2.000 cópias do vírus por mililitro de sangue, sem a necessidade de intervenção medicamentosa. Esse fenômeno é resultado de uma resposta imunológica única e altamente eficaz, capaz de reconhecer e suprimir a replicação viral de forma natural.


Os controladores de elite desfrutam de alguns benefícios notáveis em relação às pessoas que necessitam de tratamento com antirretrovirais. Esses benefícios incluem:

  1. Ausência de efeitos colaterais dos medicamentos: Ao não precisarem fazer uso constante de antirretrovirais, os controladores de elite são poupados dos possíveis efeitos colaterais associados aos medicamentos. Isso contribui para uma melhor qualidade de vida e bem-estar geral;

  2. Menor custo financeiro: O tratamento contínuo com medicamentos antirretrovirais pode ser dispendioso em alguns lugares do mundo, onde não existe um sistema de saúde que distribua gratuitamente os medicamentos, como o nosso SUS, no Brasil. Controladores de elite são poupados desse custo adicional, permitindo que direcionem seus recursos para outras necessidades ou desejos pessoais; e

  3. Menor dependência de medicamentos: A capacidade de controlar o HIV sem o uso de medicamentos proporciona uma sensação de autonomia e controle sobre a própria saúde. Isso pode resultar em um impacto positivo na saúde mental e emocional desses indivíduos.

Embora o controle natural do HIV seja um fenômeno notável, também é importante destacar os possíveis malefícios associados a essa condição:

  1. Progressão da doença: Embora os controladores de elite mantenham níveis virais baixos, o HIV ainda está presente em seus corpos. Com o passar do tempo, pode ocorrer uma progressão da doença, mesmo em ritmo mais lento. Portanto, o acompanhamento médico regular é fundamental para monitorar a saúde e intervir precocemente, se necessário; e

  2. Risco de transmissão: Embora a carga viral seja baixa, os controladores de elite ainda podem, em algumas situações, transmitir o HIV a outras pessoas por meio de relações sexuais desprotegidas ou pelo compartilhamento de agulhas. Neste caso, a prevenção com camisinha/preservativo pode ser essencial para evitar a disseminação do vírus e a proteção da saúde de outras pessoas.

Apesar dos benefícios que os controladores de elite podem desfrutar, é crucial enfatizar a importância do uso de medicamentos antirretrovirais, mesmo para esses indivíduos. Os antirretrovirais têm os seguintes papéis fundamentais:

  1. Supressão viral completa: Os medicamentos antirretrovirais têm a capacidade comprovada de suprimir a replicação viral de forma eficaz, reduzindo a carga viral a níveis indetectáveis. Essa supressão é crucial para prevenir a progressão da doença, manter a saúde e prolongar a expectativa de vida; e

  2. Prevenção da transmissão: O uso consistente dos antirretrovirais reduz significativamente o risco de transmissão do HIV, podendo chegar a ZERO. Indivíduos em tratamento e com carga viral indetectável não têm risco nenhum de transmitir o vírus a seus parceiros sexuais. É o que chamamos de "Indetectável = Intransmissível".

Concluindo, os controladores de elite do HIV são uma pequena porcentagem de pessoas infectadas pelo vírus, capazes de controlar naturalmente a replicação viral. Embora desfrutem de alguns benefícios, como ausência de efeitos colaterais dos medicamentos mais antigos e menor custo financeiro, onde o medicamento não é distribuído gratuitamente, é fundamental que esses indivíduos compreendam a importância dos medicamentos antirretrovirais no tratamento para todas as pessoas. Esses medicamentos garantem a supressão viral completa, evitam a inflamação de todo o corpo, garantem a prevenção da transmissão e mantêm os cuidados de saúde adequados para uma vida longa e saudável. A consulta e o acompanhamento médico são essenciais para avaliar individualmente cada caso e determinar a melhor abordagem terapêutica.


REFERÊNCIAS

▶︎ GÜNTHARD, H. F., & Battegay, M. (2014). Natural control of HIV-1 replication and long-term nonprogression: overlapping but distinct phenotypes. Journal of Infectious Diseases, 210(Supplement_3), S163-S171.

▶︎ HOULDCROFT, C. J., & Beale, M. A. (2017). Antiretroviral therapy-naive control of AIDS-associated retrovirus replication. Medical microbiology and immunology, 206(3), 173-184.

▶︎ SÁEZ-CIRIÓN, A., Pancino, G., & Weiss, L. (2007). HIV controllers: how do they tame the virus?. Trends in immunology, 28(12), 532-540.

67 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page