top of page

Novos medicamentos que fazem o HIV atacar a si mesmo podem eliminar o vírus do corpo



Por João Geraldo Netto - A ciência continua a avançar na busca por uma cura para o HIV, e recentemente cientistas da farmacêutica Merck divulgaram dados promissores sobre uma nova classe de medicamentos que podem revolucionar o tratamento da infecção pelo HIV. Esses medicamentos, chamados de Ativadores Alvo de Morte Celular (TACK, na sigla em inglês), têm o potencial de eliminar as células infectadas pelo vírus do corpo.


O funcionamento dos medicamentos TACK é bastante interessante. Além de inibir a capacidade do HIV de se replicar, eles têm a capacidade de fazer com que o próprio vírus "envenene" as células infectadas. Isso ocorre porque esses medicamentos induzem a síntese prematura de proteínas virais, incluindo a enzima protease do HIV. Normalmente, a protease é responsável por cortar os componentes virais durante a replicação do HIV. No entanto, quando sintetizada prematuramente, a protease acaba cortando proteínas celulares, desencadeando um processo de autodestruição da célula infectada.


A principal vantagem dos medicamentos TACK é que eles seletivamente atacam apenas as células infectadas pelo HIV, poupando as células saudáveis. Isso é uma grande conquista, pois permite que o sistema imunológico permaneça intacto e funcional. Além disso, os medicamentos TACK mostraram um potencial maior de eliminação das células infectadas quando comparados aos tratamentos antirretrovirais convencionais.


Uma descoberta promissora é que os medicamentos TACK podem ser usados em conjunto com os tratamentos antirretrovirais existentes. Isso significa que os pacientes podem se beneficiar da eficácia desses medicamentos sem interromper seu tratamento atual.


É importante ressaltar que essa pesquisa está em estágio inicial e ainda há muito a ser explorado. Mais estudos e ensaios clínicos serão necessários para confirmar a eficácia e a segurança dos medicamentos TACK. No entanto, os resultados obtidos até o momento são bastante encorajadores e abrem caminho para uma nova abordagem no combate ao HIV.


A luta contra o HIV tem sido uma batalha de décadas, mas avanços como esse renovam a esperança de uma cura definitiva. Com a continuidade da pesquisa e o desenvolvimento de novas terapias, a possibilidade de eliminar o HIV do corpo e proporcionar uma vida livre da infecção torna-se cada vez mais tangível.


No entanto, é importante destacar que a prevenção ainda desempenha um papel crucial na luta contra o HIV. O uso de preservativos, a adesão à PrEP e ao tratamento antirretroviral pelas pessoas que vivem com HIV, a oferta de PEP na saúde pública, a realização de testes regulares e o acesso a programas de educação e conscientização são fundamentais para prevenir a disseminação do vírus.


À medida que avançamos na busca pela cura do HIV, é fundamental manter o apoio contínuo à pesquisa e ao desenvolvimento de novas terapias. Com o comprometimento e os esforços conjuntos da comunidade científica, da indústria farmacêutica e da sociedade em geral, podemos esperar um futuro livre do HIV, onde todos possam viver com saúde e dignidade.


Referência

▶︎ BALIBAR CJ et al. Potent targeted activator of cell kill molecules eliminate cells expressing HIV-1. Science Translational Medicine 15: 684, 2023. https://doi.org/10.1126/scitranslmed.abn2038

854 visualizações1 comentário

1 Comment


Sou hiv da época anos 80.quase morri. Quando o cazuza morreu

Pra mim era meu fim. Eu pobre sem expectativa de vida

Em.96 conheci a RNP. E comecei a militar juntos

Nem gosto de lembrar da momtueira de remediu. Sempre fui indetctavel. Hoje não sei

Faz um.ano.que não consigo faser carga viral

Like
bottom of page